terça-feira, 26 de junho de 2012

 (Foto de arquivo pessoal, não permito cópia)


"Eu não sabia como ia ser quando arrisquei o primeiro passo. Eu tinha alguma cautela ainda e a minha dança era meio livre e desengonçada. Mas eu faço bonito sozinha, moço. Mas daí você me roubou da minha dança calma e sem pressa para me mostrar o seu mundo.
Você me conduzia bem, moço. De um jeito igualzinho ao meu jeito desengonçado e gracioso... e a cada rodopio, eu corava. Corava porque você me encarava e me desnudava de uma forma que eu nunca senti antes. Corava porque você me invadia sem chegar perto demais e ainda assim me conduzia. Quis gritar o seu nome para quebrar aquele silêncio constrangedor entre um rodopio e outro. Quis me lançar no ar para você me segurar e dizer que estaria ali para qualquer coisa de agora em diante. Mas a música parou. E você me deu um beijo.
Será que a sorte virá num passo de dança, meu amor? Dava pra sentir a sincronia dos nossos corpos. Sem ensaio nenhum e só guiada pelos seus olhos, eu pairava pelos 360 graus daquele lugar.
Essa dança nova, sem ensaio e sem passo marcado, eu só sei dançar com você. Essa nossa coreografia ritmada, sem pé nem cabeça que começou de um beijo musicado é a gente quem faz.
O problema é que eu vim de longe, rapaz. E te guardar comigo faria a nossa dança parar. Por isso mesmo é que eu esperei até o fim da música para soltar a tua mão e guardar aquela melodia para sempre.
Olha só, moço. Você é o meu amor de distância. O meu amor que mora longe e que ainda me conduz desde a primeira vez, então. Porque eu guardei um pouco de você numa caixinha e basta dar corda para nossa melodia tocar... e você sempre sai com um sorriso e com os braços estendidos para me levar. Daí eu te abraço e rodopio pelo quarto fazendo cada passo parecer o com o seu. É a minha forma de matar as saudades quando dá, amor. É a minha forma de manter sempre em movimento a dança que eu só sei dançar com você."



terça-feira, 19 de junho de 2012

segunda-feira, 18 de junho de 2012


"Não fale, não conte detalhes. 
Não satisfaça a curiosidade alheia. 
A imaginação dos outros já é difamatória! 
Afinal, sabem meu nome e pensam que sabem minha vida inteira."

domingo, 17 de junho de 2012

Fico até aflita...

 

Fico até aflita...
... de tanto gostar!
Essa nossa sintonia tem
cheiro de telepatia,
será isto magia?
Não sei! Mas arrepia...

 
(Vinicius de Moraes)

_ Que bom que você ligou! Bom saber que eu ainda existo na sua mente.

_ Você não existe na minha mente. VOCÊ É!


(É mais bonito ser do que existir. Nunca tinha pensando nisso)


*_*

domingo, 10 de junho de 2012