terça-feira, 2 de junho de 2020

O mundo precisou parar ...

O mundo parou, 
e antes disso 
a gente nem entendia mais
a importância do afeto.
A gente não dava valor
ao "ficar perto".
O mundo deu uma pausa,
tudo silenciou,
a gente não mais se viu,
nem se abraçou.

Matei a saudade
olhando da janela.
As três primeiras semanas
o sol tinha um formato quadriculado.
Era apenas eu e as paredes do meu quarto.

O céu chovia sem parar, 
da varanda eu podia ouvir
o trovão gritar.
Na verdade não era chuva, 
era choro.

O mundo silenciou, 
só assim a  gente valorizou
de verdade o amor.
Talvez o maior medo
não fosse morrer por causa do vírus,
e sim por causa da saudade.
Estamos presos na mesma cidade, 
mas sem liberdade.

Agora faz falta o abraço, 
o contato, 
faz falta reclamar das horas, 
do trânsito,
enquanto a gente estava na estrada.

E quanto tudo isso acabar, 
será que a gente ainda vai 
lembrar de se amar?

é que a vida é tão breve,
tão inconstante, 
somos instantes...

...nada será como antes.   
Tem dias onde meu riso faz sol,
mas meu coração é só,
e isso me faz chover pelos olhos.

Tem dias onde sou
o sorriso que não faz sol, 
então descubro que não é mais verão,
e cai neve no meu coração.

Tem dias que sou tua, 
é sol, 
e só na minha imaginação.

Tem dias que sou minha,
sou sozinha, 
e minha melhor companhia.

Tem dias que não quero sol, 
não quero inverno e nem verão.

Ai, sou pura bagunça e confusão,
penso demais e descubro que nesse dia
sou de outra estação.

Do nada sou jardim, 
me plantam flor
e colho amor.
Do nada não quero mais ser jardim, 
começo a chorar,
transbordar, 
e logo viro mar.

Confundo todo caos com o amar.

Tem dias que sou assim, 
e a quarentena me faz experimentar
mil versões de mim.

Tem dias onde surto, 
piso fundo, 
furo o meu barco e afundo.

Acho que é o meu fim, 
e quando chego no fundo, 
eu volto nadando outra vez para a superfície.

Tem dias que me confundo, 
nem sei que dia é hoje, 
que hora é essa, 
e nem o que é esse mundo.
Só sei que agora é noite,
pois lá fora não faz sol.

No momento não estou com esse riso da foto.
Só estou me sentindo só.

Amanhã é outro dia igual!
Por enquanto eu respiro fundo, 
mesmo com medo disso tudo.



E como dói...

E dói mais ainda não ter data pra matar essa saudade
não ter data pra te ver
não ter data pra te abraçar...



sexta-feira, 29 de maio de 2020

Tô louca pra te ver chegar...
Tô louca pra te ter nas mãos...


quinta-feira, 30 de abril de 2020

Sei lá
tô com saudade
te de encontrar
...
Até onde vai o teu sentir?
Você se permite sentir completamente tudo?
O meu sentir está me torturando nessa quarentena!
.
.
Não é nada fácil descansar em um corpo onde a ansiedade se instalou. Onde a incerteza do amanhã tem morado dia após dia. é um sentimento único. E ao mesmo tempo em que você pode não sentir nada, você pode sentir tudo!
Coisas simples pra mim acabam se tornando coisas não tão simples assim. Tem dias que eu sofro de excessos de passado, em outros de doses do futuro e agora com a cruel realidade em que o mundo está vivendo.
O problema é que tudo vira um caos dentro de mim. 
Então quando algo me afeta muito a minha ansiedade me convence que é melhor eu tomar aqueles remedinhos e ir dormir. Mas isso só prolonga as coisas...
Por muitas horas eu morro no meu sonho, eles morrem de mim, e mesmo acordando tonta me convenço de que é melhor seguir. Então eu não me permito chorar.
Mas então o que acontece com uma pessoa que sofre de ansiedade? é complicado! Porque a solidão deixa mais uma vez meu corpo deitado, parado nos sonhos que nunca foram concretizados.Mas o que ninguém te contou é que uma pessoa com crise de ansiedade tem dificuldade até de comer, pois a comida na garganta ao tentar passar dói, a insonia faz parte (como agora) e quando finalmente pego no sono eu luto com os meus pesadelos. E ao acordar digo: "tenho que viver, pois ainda há outros sonhos a serem planejados, e com a fé que eu tenho em Deus, eu ainda acredito que posso realiza-los"
Em uma cabeça ansiosa, a mente dificilmente se pode controlar. A gente se sente um carro parado com os pensamentos desgovernados, o coração fica acelerado, por medo de errar ou ter errado. No fim de tudo a gente sempre se sente culpado.
Então é assim que um ansioso é condenado a viver.
.
.
E se o espelho refletisse a alma?
Eu seria o caos e a calma.
Mesmo em confusão, tentando dividir o que há de bom no meu coração.

Oii, tudo bem com vocês? (Isso é uma pergunta bastante importante na quarentena) espero que estejam bem e se não estiverem, tudo bem também, vai passar, nem todos os dias são bons.